... ...

Dicas para Proteger o Tendão de Aquiles

Quem anda nisto do running como lhe chamam agora, sabe que as lesões podem ser um martírio bem grande, com o avançar da época desportiva os treinos torna-se mais intensos, as competições multiplicam-se e o difícil é mesmo escolher a competição em que participar. Como referi anteriormente as lesões podem “atacar” e deitar por terra todo um trabalho efetuado durante meses.

Tendinite-de-Aquiles

Uma das partes do corpo mais solicitadas na corrida é o Tendão de Aquiles, o tendão que mais sofre com as agressões do treino por vários motivos (piso, ténis gastos, peso corporal, etc……) por isso mesmo torna-se necessário prevenir as lesões relacionadas com o Tendão de Aquiles, a tendinite e a rotura.

Dicas para fortalecer o Tendão de Aquiles

Evitar o Overtraining

Por norma a maioria das lesões no Tendão de Aquiles é devido ao mau planeamento do treino, as tendinites surgem devido à sobrecarga de esforço, o mau planeamento:

  • Querer evoluir muito rápido
  • Fazer sempre o mesmo tipo de treino
  • Percursos muito longos e acidentados
  • Mudanças de intensidade constantes

Tudo isto são fatores que influenciam as tendinites rotulianas, por isso mesmo melhore o seu plano de treino tendo em conta os fatores acima mencionados, como se costuma dizer por vezes “menos é mais”.

Amortecimento do impacto no solo

O amortecimento do impacto no solo torna-se bastante necessário para proteger os tendões, pode fazê-lo de várias formas:

  • Reduzir o peso corporal
  • Adquirir palmilhas próprias para o efeito
  • Comprar um bom par de sapatilhas
  • Ter em conta o piso onde treina

Quando corremos o calcanhar absorve 3 a 8 vezes o seu peso corporal em termos de impacto no solo, por isso mesmo há que ter em conta os fatores em cima mencionados. Apesar de grande parte do impacto ser absorvido pelas sapatilhas (dependendo da qualidade das mesmas), torna-se fundamental ter em conta o aspecto do peso corporal. Quanto mais pesado for o atleta mais carga acrescentará ao tendão de aquiles, logo um atleta mais pesado terá mais probabilidade de ter lesões rotulianas que os menos pesados. O piso também é muito importante, se for um atleta com algum peso (70 a 80 kg) tente não treinar em pisos não tão agressivos (asfalto) para os tendões.

Alongar antes e depois do treino ou prova

No nosso organismo temos 2 grandes grupos musculares, os flexores (parte da frente da perna) e os extensores (parte de trás da perna), a corrida tem por norma fortalecer mais os músculos extensores posteriores, em detrimento dos flexores anteriores.  Para evitar estas discrepâncias em termos de musculatura torna-se necessário reforçar (exercícios de força) os músculos flexores, e alongar os extensores. Por isso mesmo estudos revelam que é fundamental realizar exercícios alongamentos dos tendões antes e sobretudo depois do esforço físico.

Fazer um bom aquecimento

É do conhecimento comum que é preciso fazer uma bom aquecimento antes de treinos ou provas prolongadas, essa regra torna-se de ouro para os tendões. Para o organismo funcionar devidamente aqueça bem antes de uma prova, quando digo aquecer bem não tem que ser muito tempo ou a ritmos intensos. Comece por correr a trote durante alguns minutos, posteriormente aumente gradualmente a intensidade do ritmo sem forçar muito, quando está muito frio torna-se ainda mais importante um pequeno aquecimento prévio ao esforço prolongado. Para saber que exercícios deve executar, pode ver um artigo sobre alongamentos já publicado aqui no blogue.

Alongamentos!

Evitar muscular o tendão

O Tendão de Aquiles como o próprio nome indica não é um musculo é bem diferente, não tem as suas propriedades nem a sua força logo não se deve “leva-lo para o ginásio” para este ganhar força. Não queira muscular uma coisa que não tem propriedades para isso.

Visite regularmente um dentista  

Este conselho pode parecer um pouco ridículo mas se pensar bem não o é, o nosso organismo como sabe é um circuito fechado logo o sangue também circula no aparelho dentário. Os focos infeciosos na placa dentária podem ser transmitidos para outras partes do corpo, logo o tendão de aquiles pode receber esses focos infeciosos. Posso lhe afirmar que este conselho tem tanto de verdadeiro, que um dos meus colegas de competição de quando ainda eu era velocista, esteve quase 2 anos com problemas de distensões musculares. E foi a partir do momento em que um dentista lhe disse que os problemas poderiam ter a ver com os dentes, que eles passou a ir com mais regularidade ao dentista, e as distensões desapareceram quase por completo. Por isso mesmo leve este conselho bastante a sério.

Beba muita água

Estudos revelam que a insuficiência de líquidos no organismo reduz a irrigação sanguínea logo consequentemente o Tendão de Aquiles também é afetado, perdendo elasticidade e ganhando fragilidade. Um recente estudo revelou que em 80% dos casos os problemas de tendinites que afetam os atletas são devidos à falta de hidratação diária necessária, a falta de hidratação provoca a má eliminação das toxinas.

Manter a atitude positiva

O fator psicológico e o negativismo afeta tudo na vida até no desporto, quando um atleta começa a ter problemas no treino ou competição (estagnação), ou tem mesmo problemas psicológicos, começa a pensar em milhentas coisas. Já foi provado por vários estudos que o fator psicológico pode mesmo provocar tendinites rotulianas, embora sendo este um fator com menor relevância que os anteriores, o que é certo é que pode mesmo provocar este tipo de lesão. O corredor sente o corpo como é óbvio, e se meter na cabeça que as coisas correm mal devido ao Tendão de Aquiles não há volta a dar. Por isso é que hoje em dia existem psicólogos especialistas na parte desportiva, este é um fator que no desporto moderno é uma realidade bastante real. Como se costuma dizer “A mente comanda o corpo”.

Fonte: aminhacorrida.com

loading...

Deixar uma resposta