... ...

Da inatividade à loucura dos Ultra Trails

O Corre Salta Lança esteve à conversa com o Vítor Santos, o Vítor é um atleta que começou neste mundo louco das corridas e trail não há muito tempo. O vício agora é tanto que até já faz ultra trails. Conheça um pouco melhor a sua historia, nesta pequena entrevista.

C.S.L – Em primeiro lugar, obrigado Vítor por dispensares um pouco do teu tempo, para esta conversa. Comecemos pelo inicio, antes de começares neste louco mundo das corridas, praticas-te outro desporto?

V.S – Eu é que agradeço, além da amizade a lembrança para está entrevista. Espero conseguir passar a mensagem. Quanto à tua pergunta, não apenas joguei futebol em miúdo. Estive mais de 30 anos sem praticar desporto.

C.S.L –  Há quanto tempo, é que começaste a levar as corridas mais a sério? Foi por uma questão de saúde, ou para te manteres em forma?

V.S – A primeira corrida com cronometragem, foi em Junho de 2016, na corrida do movimento em Vila Nova de Gaia nos 10km. Foi pelo desafio e o convívio, consegui entre correr e caminhar fazer o tempo de 59 minutos, e perder umas gramas, pois eu estava com 86 kg. Agora com menos 23kg, a motivação é outra, e a disponibilidade física também.

C.S.L – Sei que alguns dos teus colegas de trabalho, também correm e fazem trails. Foram eles que te meteram o “bichinho” da corrida?

V.S – Sim é verdade, alguns deles também correm e de certa forma, eles desafiaram me para estas loucuras saudáveis. Aqui fica um abraço para eles, Hugo Moreira, Carlos Moreira, Bruno Castro e o Pedro. Mas a família ao início estava um pouco reticente, agora são eles a minha força, sempre juntos.

C.S.L –  O que é te motiva a correr, e a fazer provas?

V.S – Primeiro pela minha saúde, depois pelo gozo que me dá participar em toda aquela envolvência, e ambiente em torno das provas. Pelos amigos que vamos encontrando e fazendo pelo caminho, e por fim pelo carácter competitivo. O querer superar-me a cada prova, porque apesar de tudo, aconteça o que acontecer saio sempre vencedor!

C.S.L –  Sei que tiveste um problema de saúde, não temes que a corrida possa te trazer problemas, e tenhas que deixar de correr?

V.S – Esse episódio foi há seis anos atrás, estava na altura com 40 anos, tive um enfarte miocárdio, onde estive quatro dias nos cuidados intensivos. Mas foi ultrapassado, também tive outro problema de saúde, que quase me atirou para uma cadeira de rodas. E que resultou na platina que tenho numa perna, que já faz parte de mim, mas também foi ultrapassado. Foram dois episódios menos bons em termos de saúde, agora sinto-me bem e com mais força para viver.

C.S.L –  Preferes trail a estrada certo? Porquê?

V.S – Corro ambas, mas para ser sincero prefiro trail, além das varias distâncias e com graus de dificuldade diferentes, acho que o companheirismo e a entre ajuda, está mais presente.

C.S.L –  Qual foi o trail que mais gostaste de fazer até hoje e porquê?

V.S – Todos são especiais, e já participei em bastantes, mas o que mais gostei de fazer foi estrela grande trail em 2017 nos 109km. Talvez por ter sido o meu primeiro ultra endurance. Mas o trail que me fez sentir um verdadeiro atleta, foi já no corrente ano, foi no trail de Conímbriga nas terras de Sicó nos 111km.

C.S.L – Sei que devido à tua vida social muito ativa, pouco ou nada treinas, e mesmo assim aventuras-te nos ultra trails. Já fizeste mesmo trails de mais de 100km, e com bons resultados. É preciso ter-se uma “boa dose de loucura”, ou é mesmo muito espírito de sacrifício, e o gosto pelo trail?

V.S – Sim é verdade, alguns já referidos anteriormente e outros já agendados para breve, concordo contigo por vezes tem de existir essa loucura. Mas acho saudável, muito espírito de sacrifício, mas sobretudo o gosto pelo trail. Por tudo aquilo que me proporciona, que se não fosse a fazer esses trilhos, dificilmente veria as paisagens magníficas que temos.

E nos quais estou a tentar registar em fotos e vídeos, e partilhar na minha página do Facebook, e já agora agradeço a quem quiser me seguir, aqui fica vitorsantos-ultra runner Os treinos são as minhas provas, e vice-versa.

C.S.L –  Em termos futuros quais são os teus objetivos?

V.S –  Este ano em estrada, nos 10 km tentar os 40 minutos, nos 21km tentar atingir 1:30h. Em termos de trail gostava de ir já no próximo ano ao Ultra Trail Mont Blanc, e Marrocos. Quanto a pódios não prometo nada, porque ao terminar já me considero um vencedor.

C.S.L –  Mais uma vez obrigado pela entrevista, queres deixar algum conselho, consideração, que aches importante partilhar com os leitores?

V.S – Eu é que agradeço a tua simpatia, e sinto-me honrado pelo gesto. A mensagem que posso deixar, é que continuem a correr, seja em estrada ou na montanha. Não deixem de ser felizes, antes de começarem neste louco mundo das corridas, façam exames médicos que são de extrema importância. E já agora sigam a minha página, como diz a minha amiga Alexandra Fernandes, isto não é a minha vida, mas dá-me vida.

Obrigada e até breve

Eu é que agradeço a disponibilidade para esta pequena conversa, e boa sorte para as provas futuras!

loading...

Deixar uma resposta