... ...

Qual a Importãncia do Peso Corporal e a sua Influência na Corrida

Quando se aborda a atividade física e a corrida, no nosso caso, sabemos que vários factores interferem nessa prática, neste caso irei falar do peso corporal e de como este pode afectar a performance.
Como sabemos a corrida é um desporto de alto impacto , principalmente nas articulações e como tal o peso corporal pode aumentar ou diminuir esse impacto, dependendo claro de outros factores como, local etc, mas irei focar-me essencialmente no factor peso corporal.

peso corporal
A perda de peso (massa gorda, que é o que me refiro sempre que falo em perda de peso) é um dos principais factores que leva muitas pessoas a iniciarem-se nesta atividade. Como é óbvio, acho que grande parte das pessoas, depois se apaixona pela modalidade por outros factores mas o factor inicial é principalmente a perda de peso.
É importante frisar que o nosso aparelho locomotor precisa de tempo para se adaptar e tem que ser bem cuidado, com fortalecimento muscular e alongamentos. E uma das questões que se coloca com frequência é:

Será que o peso corporal pode afectar a corrida?

SIM, o peso corporal afeta o desempenho do corredor. Não exatamente o excesso de peso, mas sim do que ele é composto. O peso corporal pode ser dividido em 3. O primeiro é a gordura que é formada pelo excesso de calorias ingeridas através de proteína, hidratos de carbono e açúcar, e que se transforma em massa gorda e fica armazenada dos adipócitos (depósitos de gordura que armazenam a massa gorda). O segundo é composto por órgãos e músculos – todo o tecido que consome oxigénio e produz dióxido de carbono durante a tividade física. E o terceiro compartimento é composto pela massa metabolicamente «inativa», que fazem parte do sistema de sustentação do corpo, como ossos, ligamentos e articulações, alimentos em transito intestinal, fezes e água.
Sendo assim e explicando melhor a composição corporal: o excesso de massa gorda tem um papel negativo na corrida pois este pode servir de «lastro» desnecessário.
O excesso de massa metabolicamente atica como os músculos será ser benéfica para o desempenho do praticante pois irá ajudar o atleta a ter uma melhor performance.

corrida
Já a terceira componente, não terá um papel positivo na corrida pois excesso de água ou alimento no transito intestinal pode desacelerar o atleta e prejudicar o seu rendimento desportivo.
Atualmente já existem ténis com excelente suporte de amortecimento de impacto, no entanto, estes não vão retirar o impacto por completo nas articulações e como é óbvio quando menos peso corporal o praticante tiver menor será o impacto no seu sistema locomotor.
Como tal tem que haver um processo de maturação muscular e emagrecimento que o possa levar a um trabalho de corrida mais seguro, cerca de 3 vezes por semana com intervalos entre 24 e 48 horas de recuperação entre treinos.
É importante ter como meta um percentual de massa gorda entre 12 e 16 % no caso dos homens e entre 17 e 20% no caso das mulheres para se ter o menor impacto possível em termos articulares. A relação potência- rendimento está diretamente relacionada com um peso corporal bom rendimento. O que quer dizer que a performance está diretamente relacionada com o peso corporal.
Atletas de elite sabem exatamente o peso corporal que se sentem melhor a competir e isso chega a ter um efeito psicológico nos períodos que antecedem as competições. Como tal os técnicos e treinadores devem analisar a performance por meio da percentagem de massa adiposa e da composição corporal em geral. Todos os atletas nas diferentes modalidades desportivas, devem estar no peso ideal.
Como é óbvio, não é apenas o peso corporal que irá afectar a performance do atleta, visto haver várias variantes, como o fator psicológico, mas neste caso vou me focar apenas no fator, peso corporal.
Fazer medições da percentagem de massa gorda é importante para monitorizar a evolução do atleta em termos de performance, e em casos mais extremos, até alertar para um possível excesso de treino, processo geralmente chamado de overtraining, quando há uma redução muito acentuada da performance.
A ansiedade de muitos praticantes com excesso de peso ou mesmo obesos, em atingir o peso ideal pode levar ao fracasso, como tal, deve ser adoptada uma metodologia e organização do processo por etapas, como por exemplo a adopção de medidas diárias em que o praticante sinta que atingiu o sucesso diariamente, o que levarão mais tarde a atingir o grande obejtivo.

Pequeno-Almoco

Estas pequenas etapas têm a ver com mudanças de comportamento alimentar, essencialmente (visto que estes já são praticantes de exercício físico), como por exemplo, beber 1,5L água por dia, introduzir 2 peças de fruta na sua dieta, ter as suas refeições sentado e num local calmo e despender cerca de 20 minutos por cada refeição, entre outras. Chamam-se a estas etapas, etapas bebé, que serão mais fáceis de se atingir e com o tempo o levarão a atingir o grande objetivo. Não são aconselhadas dietas, até porque eu própria não acredito nem aconselho dietas, visto que ninguém consegue viver em dieta, mas sim mudanças de comportamento e introdução de alimentos mais nutritivos e menos calóricos e redução dos alimentos mais densos caloricamente e menos nutritivos.
Em casos de sobrepeso maior deve-se evitar o impacto e orientar o praticante para atividades complementares à corrida como ciclismo, eliptica, musculação, natação etc. Nestes casos aumentar o volume de treino de corrida pode ser um maior risco de lesão. Daí ser muito importante ter o acompanhamento de um profissional que acompanhe o processo de forma consciente e saudável

Raquel Madeira- Personal Trainer
[email protected]/ www.raquelpersonaltrainer.com

Bibliografia
o2porminuto.ativo.com/corrida-de-rua/saude/
http://marcelosartori.blogspot.ae/2008/09/influncia-do-peso-na-corrida.html

loading...

Deixar uma resposta