... ...

Qual a Importãncia do Treino Invisível no seu Rendimento

As tendências da nossa sociedade estão a mudar, o que há uns anos atrás era loucura para a maioria das pessoas (praticar exercício e correr), hoje em dia passou a moda e é uma atividade que cada vez mais é bem vista na sociedade, passou a ser um desporto popular. Mas tudo o que é popular tem um problema. Quem nunca foi a um bar ver um jogo de futebol, ou em casa de amigos, e quando damos por nós estamos todos a ser treinadores de bancada. A comentar as jogadas, a questionar as opções dos treinadores, achamos que sabemos mais que eles, e que faríamos melhor.

corrida

No mundo das corridas acontece exatamente o mesmo, o corredor comum começa a correr sem critério, sem um plano de treino definido, e comete erros por achar que sabe o que está a fazer. Não cometa o erro de achar que sabe o que está a fazer, sob pena de se arrepender mais tarde quando as lesões aparecerem,  estagnar no seu treino, ou entrar mesmo em overtraining. Tudo tem que ser bem planeado, e adaptado de acordo com as necessidades de cada corredor.

Para ter uma ideia, 80% dos corredores casuais tem mais ou menos uma hora por dia para treinar, e essa hora é distribuída desta forma:

  • Sai de casa a correr
  • Corre 60 minutos
  • Volta para casa

Ou seja apenas uma hora de corrida contínua, outros já com mais alguma experiência, fazem algumas séries curtas, longas, fazem até fartlek mas quase sempre sem nenhum critério. Ou orientados ainda por métodos de treino que leram em livros, e que já estão mais que ultrapassados. A típica filosofia de “No Pain No Gain”

Normalmente o que acontece com o corredor comum, é que as corridas passam de hobby a uma obsessão. É o que acontece normalmente com quase todos nós que gostamos de correr, e com os corredores de elite. Aquilo que inicialmente fazíamos para nos divertir e relaxar, começa a nos esmagar psicologicamente, e torna-se na atividade mais stressante da nossa vida quotidiana, faz-nos andar sempre num ritmo diário alucinante.

Dê importância aos treinos invisíveis!

O mundo das corridas não é só correr, é muito mais que isso! Não é só prestar atenção ao tempo que corre, aos seus tempos nas séries, se evolui ou não nos seus tempos. Na maioria dos casos o corredor comum não presta atenção a outros fatores, tais como o não correr! Para a maioria dos corredores isto passa um bocado ao lado do seu treino, e acham que é um absurdo. Existem outras coisas extra corrida que você pode e deve incluir no seu treino, que são “invisíveis” para a maioria do corredor comum, são indispensáveis para melhorar o seu rendimento.

Você deve incluir nos seus treinos, exercícios de recuperação, técnica de corrida, força geral, alongamentos. Para relaxar e desanuviar um pouco do stress das corridas, pode e deve praticar outros desportos, tais como andar de bicicleta, natação, etc.

Como deve planificar o seu treino!

  • Correr quantos dias por semana? Depende do nível em que você está! Se já for um corredor com alguma experiencia, pode treinar 5 vezes por semana. Se for um corredor iniciante, o aconselhável é treinar 4 vezes por semana. Sempre com um dia de descanso entre treinos, deve treinar sempre mais dias do que os que descansa.
  • Pratique outros desportos! Uma vez por semana, não faça o seu treino de corrida normal e opte por andar de bicicleta, ou fazer um treino de natação. Isto irá fazer com que você trabalhe outros grupos musculares, evitará também o risco de contrair lesões.
  • Inclua treinos de velocidade no seu plano! Os treinos de velocidade são fundamentais no seu treino, para melhorar a sua potência aeróbia. Isto irá com certeza ajuda-lo a melhorar as suas marcas.
  • Aprenda a fazer treinos mais lentos! O corredor casual tem sempre a tendência de querer fazer tudo sempre muito depressa. Por vezes devemos ser mais contidos nos ritmos impostos nos treinos, é preferível executar mais lento e acabar um treino, que fazer tudo a ritmos intensos e não acabar os treinos.

Descansar é tão ou mais importante que treinar!

Uma das coisas que os corredores por vezes não conseguem fazer é descansar. O corredor casual, por variadíssimos fatores por vezes não

A alimentação também faz parte do treino invisível!
tem tempo para descansar, por motivos familiares, ou profissionais, chega à hora de fazer o seu treino e já está muito cansado do dia “terrível” que teve. Quando isto acontecer é preferível não treinar, se você treinar com o corpo e a mente já fatigados, entra no processo de “overtraining”. O treino tem o resultado precisamente oposto do que o que você deseja! Está a sujeitar o seu organismo ao esforço do treino, e não está a evoluir rigorosamente nada.

Sempre que surgir uma dor incomodativa, não treine! Por vezes os corredores sentem uma ligeira dor nos seus músculos ou ossos, mas não é impeditiva de treinar e não param. Se não parar de treinar e descansar, a dor incomodativa pode-se transformar em lesão! Comece a “ouvir” os sinais que o seu corpo lhe transmite, “ele” melhor que ninguém sabe como se sente!

Alimentos para quem pratica desporto

A alimentação também faz parte do treino invisível!

Como não podia deixar de ser, outro dos fatores que normalmente é descurado pelo corredor casual é a alimentação! O que adianta ter em conta vários fatores relativos ao treino, se não se preocupar com a sua alimentação. É do senso comum, que uma boa alimentação é fundamental para melhorar o seu rendimento desportivo. Veja como pode fazer uma alimentação equilibrada, mais direcionada para quem pratica desporto, num artigo já publicado aqui no site.

Comece a dar mais importância aos pequenos pormenores, faça treinos invisíveis e vai ver que o seu rendimento desportivo irá melhorar com toda a certeza.

Fonte: Sportlife.ES

loading...

1 Response

  1. MassBody Novas Terapias Massagem diz:

    O mundo das corridas não é só correr, é muito mais que isso!

    É bem verdade, mas mesmo num artigo tão importante e interessante como este, o autor "esqueceu-se" de uma componente fundamental na preparação, manutenção e recuperação do atleta: a massagem desportiva!

    Em Portugal ainda existe um longo caminho a percorrer no que respeita à inclusão da massagem desportiva no plano de treino.

    Veja-se, a título de exemplo, o que pensa Cliff English, um dos mais conceituados treinadores mundiais de atletas de triatlo:

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=224713504358005&set=a.165231026972920.1073741828.165215260307830&type=1&theater

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: