... ...

Performance Física – Treine de Forma Inteligente!

Desde há algum tempo que a maior parte de nós persegue um corpo realmente “fit” e metabolicamente saudável em vez do ideal de “falsa magreza” que reinava até aqui, especialmente no universo feminino.

Performance Fisica

À medida que se aproxima um novo ano, as pessoas vão-se mentalizando para o reinício dos seus treinos no ginásio, já que, por mais cuidados que se tenha, como se costuma dizer “a partir dos 30 anos”, os excessos são cada vez mais difíceis de reverter.

Tipicamente, o primeiro passo é usar e abusar sem dó nem piedade dos equipamentos de cárdio durante minutos intermináveis, à espera de “queimar” todas as calorias em excesso…até que nos vamos apercebendo que todos os minutos transpirados com tanto esforço não são sinónimo dos resultados pretendidos.

E este é um dos problemas que enfrentamos ano após ano, quando os clientes nos abordam, queixando-se da dificuldade que têm em perder gordura corporal, em recuperar dos treinos, em recuperar de lesões, etc…

Como ultrapassar estes problemas?

Algumas pessoas parecem estar mais protegidas contra a acumulação gradual de gordura corporal e contra um sem número de lesões.

Será genética ou “pura sorte”?

Um dos melhores exemplos é o jogador de futebol holandês Arjen Robben, um atleta fantástico que passou metade da sua carreira quase sem jogar, devido às inúmeras lesões musculo-esqueléticas em consequência de métodos de treino desadequados ao seu perfil genético, estrutural e funcional. Uma vez identificados e corrigidos os problemas, o atleta está desde há 4 anos, praticamente sem lesões e com um elevadíssimo nível de performance, como todos pudemos constatar neste último mundial de futebol.

Robben

Outro exemplo fantástico é o da nadadora americana Dara Torres que, para além de deter o recorde de participações em Olimpíadas, (participando em 5 edições ao logo duma carreira desportiva de quase 30 anos), bateu outro recorde ainda mais impressionante que foi o de, aos 41 anos de idade ter conquistado 3 medalhas de prata olímpicas, sendo que uma delas foi nos 50m livres, a prova rainha da natação.

Dara Torres

No meio desportivo, nós aplicamos baterias de testes que nos permitem identificar quais os melhores métodos de treino para maximizar a performance dos atletas, mas, infelizmente, esses mesmos testes não são aplicáveis à maioria das pessoas por inúmeras razões, entre elas: descondicionamento, desequilíbrios musculares, lesões anteriores, não domínio da técnica de execução, etc.
Felizmente, nos últimos anos, conseguiu-se isolar a informação genética que nos permite identificar a melhor forma de melhorar a performance de qualquer pessoa.
De acordo com vários estudos, os factores genéticos contribuem com cerca de 20 a 50% na variação individual a determinadas características relacionadas com a performance física, resultado da contribuição e interacção de múltiplos factores que actuam reciprocamente. Estes factores classificam-se em: genéticos e ambientais.

Os factores genéticos são variações na sequência do ADN, relacionados com diferenças individuais em características importantes para o performance física como a força muscular, a resistência, a susceptibilidade a lesões e muitas outras.
Estas variações genéticas têm uma incidência tanto na performance física dos atletas como nas pessoas que praticam exercício com o objectivo de melhorar a sua saúde.

Exercicio fisico

Também é importante recordar que nem todas as variantes genéticas que se podem encontrar em desportistas de elite são uma referência de saúde no mundo do fitness.

Entre os factores ambientais, podemos destacar a alimentação, o tipo de treino e preparação, as condições atmosféricas/geográficas, entre outros.

Vitality Clinic trabalha única e exclusivamente com a Labco, empresa líder europeia na área do diagnóstico laboratorial.
Nesta óptica a Labco desenvolveu o SportGen, um teste que possibilita a utilização da genética para ajustes individuais de treino e de prescrição de exercício saudável.

Vitality Clinic

O SportGen identifica a tipologia da fibra muscular (se o músculo está mais preparado para treino de resistência ou Suplementaçãopotência), o grau de risco de desenvolver artroses, especialmente importante para quem gosta de actividades aeróbias (corrida, BTT, triatlo, etc), a tipologia do colagéneo, também importante para todas as actividades aeróbicas dado estar relacionado com a probabilidade de desenvolver lesões tendinosas, ligamentares ou musculares.

Desta forma, ao recorrermos aos resultados deste teste podemos prescrever a tipologia de treino mais adequada, bem como a alimentação e suplementação.

Falei inicialmente da constante tendência que as pessoas têm para considerar o treino aeróbico de longa duração e baixa intensidade como o principal tipo de treino para perder peso, diminuir a gordura corporal e tonificar o corpo. Quer sejam amadores, quer atletas, infelizmente ainda persiste na ideia da maioria das pessoas que o melhor tipo de treino para melhorar a composição corporal ou a performance física e recordes pessoais é o treino aeróbico.
No entanto, agora pense: que metodologia de treino usaram o futebolista Arjen Robben e a nadadora americana Dara Torres para obterem resultados tão impressionantes nas suas carreiras desportistas?

Acha que o futebolista Arjen Robben usava unicamente a corrida e o treino técnico de futebol para de um momento para o outro deixar de ter lesões e passar a ter um rendimento e performance físicos como nunca antes sem se lesionar?

Que metodologia de treino e estilo de vida teve a Dara Torres durante a sua vida como atleta que lhe proporcionou obter o recorde de participações em Olimpíadas e aos 41 anos ter conquistado 3 medalhas olímpicas? Acha que esta atleta apenas nadava para ter conseguido este feito desportivo?

Definitivamente a resposta é não! Se Arjen Robben continuasse apenas a usar a corrida e o treino técnico para jogar mais e melhor futebol a sua carreira teria terminado cedo devido a lesões repetitivas e recidivantes.

De igual forma, se Dara Torres apenas usasse a natação como treino para nadar mais e melhor, infelizmente iríamos com certeza ler uma história desportiva curta e repleta de lesões.

Assim sendo, qual foi o “segredo” destes dois exemplos desportivos?

Conforme abordado anteriormente, a genética assume um peso importante no rendimento desportivo, no entanto, a tipologia de treino, a alimentação e a suplementação têm, em conjunto um peso ainda maior.

Para a maioria de nós, embora não sejamos atletas de alta competição, estas variáveis são igualmente válidas e aplicáveis. A única coisa que devemos fazer é seguir as “pistas” deixadas pelo sucesso desportivo destes dois atletas mencionados acima como exemplos.

“Correr para treinar” ou “treinar para correr”?

Costumo dar sempre este exemplo aos meus clientes, pois tenho muitos que abordavam o treino utilizando para esse fim, exclusivamente uma modalidade aeróbia como a corrida, em vez de treinarem e prepararem o corpo para poderem desfrutar dessa modalidade.

Quem gosta de correr, pedalar, nadar, jogar ténis ou futebol, etc como forma de treino tem uma maior probabilidade de desenvolver problemas musculo-tendinosos e osteo-articulares relacionados com as características repetitivas destas modalidades.

Exercício Físico
Na Vitality Clinic, a nossa abordagem passa por identificar o perfil genético, estrutural, funcional, metabólico e hormonal específico de cada cliente para, a partir daí, desenvolvermos um programa integrado e personalizado de treino, alimentação, suplementação e, se necessário, de reabilitação, de modo a potenciar a performance física de cada pessoa, duma forma mais rápida e segura, minimizando os riscos inerentes à modalidade desportiva escolhida.

Duma forma práctica: se gosta de correr, imagine-se a correr mais rápido e melhor, com menos desconforto e com menos gordura corporal.

Qual é então a melhor tipologia de treino para melhorar a nossa composição corporal ou até mesmo o nosso rendimento e performance físicos caso sejamos atletas amadores ou profissionais de alguma modalidade?

Por: João Ramos – Especialista em Performance, Treino e Reabilitação / Vitality Cllinic

loading...

1 Response

  1. Muito show o artigo, sou praticantes de Jiu jitsu e gostei muito das dicas,
    também tenho um blog onde falo sobre “Como Conseguir Patrocínio para Qualquer Esporte”.
    http://patrocinioparaatletas.com

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: