... ...

Quais são as Lesões mais comuns nos Corredores e como preveni-las

Correr tem imensos benefícios mas como tudo, qualquer atividade em excesso ou sem os cuidados necessários tem os seus malefícios. Passamos de seguida a mencionar as lesões mais comuns desta modalidade e como as pode prevenir.

Fascite plantar

Essa inflamação atinge o tecido que reveste a planta do pé e representa aproximadamente 20% das lesões entre os corredores. As principais causas são: alterações na forma do pé, aumento de peso e erros no treino.

“O aumento de peso provoca um encurtamento nos músculos dos gémeos , o que causa traumas no pé e inflama a fascite plantarfáscia plantar, tecido que envolve a planta do pé. Por esses e outros motivos, as pessoas que estão acima do peso não devem começar um treino de corrida sem antes praticar caminhadas”, diz o ortopedista Evaldo Bósio, isto serve para preparar o corpo para uma atividade mais intensa e a partir daí então deve-se gradualmente aumentar a intensidade do treino. Treinar em terrenos muito irregulares e de forma muito longa e intensa também aumenta as chances desse problema.

Para quem já sofre com essa lesão, o contato com um ortopedista é fundamental. “A fisioterapia para o tratamento pretende diminuir a dor, controlar o processo inflamatório e reequilibrar os músculos através de alongamento e fortalecimento específicos“, explica o ortopedista.

Prevenção:

  • No primeiro caso, é possível controlar e prevenir o problema usando palmilhas adequadas e personalizadas.
  • Alongamentos específicos e o uso de uma bola de ténis para massajar os pés também pode ser uma boa técnica de prevencão
  • Evitar treinos em terrenos muito irregulares se já houver incidencia deste tipo de lesões

Tendinite de Aquiles

É uma lesão típica por excesso de uso e, normalmente, origina-se com o aumento repentino da atividade física, o uso de ténis de má qualidade ou o treino em piso inadequado”, diz o ortopedista Moisés Cohen, autor do livro Lesões nos Esportes – Diagnóstico, Prevenção e Tratamento. da Editora Revinter

Tendinite-de-AquilesA tendinite de Aquiles é caracterizada por uma dor no calcanhar, principalmente na hora de subir ou descer escadas. Em casos mais graves, normalmente associados à falta de tratamento, podem levar a grande limitação de movimentos, com dor mesmo em repouso. Essa dor é gerada por rupturas das fibras de colágeno que formam o tecido do tendão de Aquiles, que é pobre em vascularização. Essas pequenas lesões, associadas ao excesso de esforço, podem provocar uma inflamação nesse tendão.

Prevenção:

  • As medidas preventivas são simples: escolher o calçado e o piso adequado para o treino, e não exagerar na intensidade dos exercícios. Já o tratamento é bem mais complicado: “Ele é feito com repouso relativo, afastamento temporário das atividades físicas, uso de antiinflamatórios e analgésicos e aplicação de gelo no local por 20 minutos, de três a quatro vezes ao dia”, explica o ortopedista.

Depois, ainda é preciso passar por um processo de reabilitação, feita com fisioterapia, medidas analgésicas e exercícios específicos indicados por um ortopedista, dependendo da gravidade da mesma, mas este será o processo normal.

Canelite

                A canelite é caracterizada por dor na região da “canela” que ocorre durante o exercício, mas pode durar apóscanelite o término dele se não houver descanso. É caracterizada pela inflamação dos tendões e músculos que ficam ao redor da tíbia (ossos da «canela»). “Correr com o corpo inclinado para frente e aumentar o treino de forma exagerada são causas bastante comuns da canelite“, explica Evaldo Bósio.

Prevenção:

  • Além de respeitar os limites do corpo e usar ténis adequados, fazer musculação para fortalecer os músculos inferiores também ajuda a prevenir a canelite. “Músculos fortes diminuem o impacto sobre ossos, articulações e tendões”, explica o ortopedista. O especialista ainda alerta que as mulheres que entraram na menopausa devem ficar mais atentas, já que a lesão é mais comum nesse período.

Lesão no menisco

Os meniscos são estruturas que ficam dentro dos joelhos, localizadas entre os ossos chamados tíbia e fêmur. Eles têm como função absorver o impacto dos membros com o solo e proteger a cartilagem do joelho. “O uso de ténis inadequados ou que já não tem capacidade de amortecimento causam lesão no menisco”, alerta Moisés Cohen.

meniscoOs principais sintomas dessa lesão são dor do joelho, sensação de fraqueza nas pernas, dificuldades para apoiar o pé no chão, limitação para flexão ou extensão e, nas lesões mais extensas, bloqueio da articulação.

“O tratamento normalmente é feito com gelo, analgésicos, uso de muletas e fisioterapia. Em casos mais sérios, uma cirurgia pode ser indicada pelo médico”, explica o ortopedista, mas depende do grau de gravidade da lesão.

Prevenção:

  • Escolha os seus ténis com uma boa capacidade de amortecimento, e hoje em dia tem lojas desportivas especializadas que o podem ajudar.
  • Os ténis de corrida devem ser trocados a cada 550 quilómetros corridos. “Só esses dois cuidados já diminuem bastante as lesões no menisco causadas pelo impacto”, explica.
  • Tenha também atenção ao seu peso corporal, já que estiver acima do peso a pressão no menisco será maior, portanto diminua a quantidade de alto impacto se necessário até ter o peso «normal», enfatizando mais bicicleta estática e musculação ou até exercícios na água como hidrobike, hidroginástica ou natação.

Fraturas de stress

A fratura de stress pode ser definida como desgaste ósseo que ocorre devido à sobrecarga e exercícios repetitivos de fratura por stressgrande intensidade. “Quando o osso é submetido a uma carga excessiva, sem que sejam respeitados os princípios de repouso e progressão da atividade, ocorre uma fratura das partes internas do osso”, explica o ortopedista Moisés Cohen.

O motivo é a fadiga muscular. “Os ossos não estão preparados para absorver grande quantidade de energia. Quando os músculos ficam cansados e deixam de absorver a maior parte da energia, os ossos acabam cumprindo esta função, desgastando a sua estrutura”, explica o profissional.

A fratura por stress ocorre principalmente nos ossos da perna, fémur e tíbia, e nos ossos do pé, como calcáneo. Se não for tratada, a fratura interna pode progredir para modificações anatómicas, ou seja, para uma fratura completa. De acordo com o ortopedista, esse tipo de fratura corresponde a quase 30% das lesões de corrida.

Prevenção:

  • A única forma de evitar esta lesão é evitar o overtraining , excesso de treino, cumpra religiosamente os períodos de repouso, faça massagens com regularidade e nunca aumente exponencialmente o numero de quilómetros de uma semana para a outra, tente fazer isso gradualmente.

Entorses de tornozelo

entorse do tornozeloTorcer o tornozelo pode causar a ruptura total ou parcial dos ligamentos ou, ainda, hiper extensão dos ligamentos, problemas que podem deixar o corredor longe das pistas por vários meses. Após a torção, é necessário procurar um ortopedista para analisar qual foi o grau de seriedade da lesão. Se houver ruptura dos ligamentos, a intervenção cirúrgica será necessária.

Prevenção:

  • A escolha do local onde será realizada a corrida é o principal fator de proteção, já que as torções estão diretamente ligadas a buracos e irregularidades na pista.
  • Tente fortalecer os tendões do tornozelo com exercícios de rotação, flexão frontal e frontal do tornozelo. Exercícios com plataformas instáveis como bosu também ajudam a fortalecer.

Lombalgia

Mais conhecida como dor na coluna, a lombalgia é uma das principais queixas entre os corredores. “A corrida é umalombalgia atividade física que depende da ação da musculatura do tronco para mantê-lo dentro de uma postura correta. Por isso, se o exercício é feito de maneira errada, a pessoa com certeza terá dores nas costas”, diz o ortopedista Moisés Cohen.

Prevenção:

  • A melhor maneira de evitar esse problema é fazer exercícios de alongamento de forma contínua e progressiva até o limite da dor – mas sem exageros. Ao chegar nesse limite, o atleta deve permanecer na posição alongada de 20 a 30 segundos, de preferência sentado e de modo que trabalhe tanto os músculos dos membros superiores quanto inferiores.
  • Um core fortalecido também evita este tipo de dores, portanto exercícios que fortaleçam toda a musculatura da zona lombar, abdominal superior e inferior, oblíquos, e glúteos terá menos probabilidade de sofrer deste problema.

Raquel Madeira

Personal trainer

[email protected]

http://raquelpersonaltrainer.com/

Bibliografia

www.minhavida.com.br/fitness/galerias/13921-evite-as-sete-lesoes-mais-comuns-em-corredores

loading...

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: